/Um dia em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul

Um dia em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul

Mais uma viagem bem rápida, dessa vez sai de São Paulo, Aeroporto de Guarulhos, com destino ao Aeroporto Internacional Antônio João, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Tive apenas um dia para conhecer os principais pontos turísticos. Campo Grande é uma cidade base e geralmente recebe visitantes em trânsito para uma das cidades mais conhecidas do Mato Grosso do Sul: Bonito. Mas, o que podemos conhecer em Campo Grande em um dia? Vem com a gente!

O primeiro local visitado foi o Parque das Nações Indígenas. Criado em 1993 com 119 hectares. Este é um parque bem interessante para observar as vegetações típicas do cerrado brasileiro. Ao andar por ele podemos ver araras voando, bem-te-vis, capivaras em bando e dizem que até tucanos.  Os principais pontos do parque são: o Lago, a Concha Acústica Helena Meirelles, o MARCO (Museu de Arte Contemporânea) e o Museu das Culturas Dom Bosco.

Do parque, podemos ver as obras do futuro Aquário do Pantanal, que será o maior aquário de água doce do planeta. Com uma arquitetura bem diferente do que estamos acostumados.

Vista para o Futuro Aquário do Pantanal

Saindo do parque fui ao Mercadão Municipal, que está localizado no centro da cidade, e é bem conhecido por vender cabeça de porco e ervas em geral: erva cidreira, camomila, erva doce, boldo, erva mate e erva mate com sabores… muitos tipos mesmo. Para os adoradores de chá ou chimarrão é um local perfeito.

Mercado Municipal

Atrás do Mercado, na Praça Oshiro Takemori, acontece a Feira Indígena. Ao lado do mercado fica o Camelódromo, tipo a 25 de Março de São Paulo, onde podemos encontrar de tudo: bolsas, sapatos, camisas, camisetas e muitoooss, muitosss quiosques com artigos de informática e celular.

Depois passei em frente ao SESC Morada dos Baís, que funciona em um dos mais antigos prédios de Campo Grande, mas estava fechado. Fica para a próxima! O SESC fica em frente a Orla Ferroviária, onde estão os antigos trilhos que passavam pela cidade. Ali perto está a Casa do Artesão, também localizado na Avenida Afonso Pena, onde funcionava um Banco e podemos encontrar artesanato em couro e matérias primas locais.

Na frente da Casa do Artesão está a Réplica do Relógio da 14 de Julho. A réplica foi feita em homenagem ao centenário de Campo Grande e aos 60 anos do Rotary Clube de Campo Grande. A curiosidade desse relógio é que o numero 4, representado como “IV”, em algarismo romano está representado como “IIII”. Uma forma mais arcaica, por causas estéticas e religiosas, evitando o uso de letras que iniciam o nome do deus Júpiter (IVPITER).

Um ponto que é bem recomendado e não consegui ir é a Feira Central. Uma feira com várias barracas vendendo pratos típicos japoneses.

Depois de passar por esses pontos já estava quase na hora de ir embora. Mas, antes, faltava conferir um dos pontos turísticos mais importantes da cidade: a Praça das Araras, que também é conhecida como Praça da União. Nesta praça há três enormes esculturas de araras, polêmicas para alguns e interessantes para outros. O que você acha?

Praça das Araras

Mapa com todos os pontos visitados:

Bom, estas são algumas dicas do que conhecer em Campo Grande com pouco tempo. E você já conhece a cidade ? Curtiu? Compartilhe sua experiência conosco.

Até o próximo post.
Diego Arena