Parque Nacional Iguazú, as Cataratas no lado argentino

Depois de visitar o lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu, pegamos o carro e seguimos em direção à Argentina. Era hora de atravessar a fronteira e conhecer o Parque Nacional Iguazú, onde fica o outro lado das Cataratas. Vem com a gente conferir como foi o passeio por lá?!

Como chegar e a imigração da Argentina

Fomos de carro, pois além das Cataratas queríamos visitar outros pontos da cidade de Puerto Iguazú (contarei mais sobre eles em um outro post). Há uma linha de ônibus que faz o trajeto, mas, parece que funciona em horário restrito e não queríamos ficar dependentes desse transporte.

Um item bem importante para quem vai de carro é ter em mãos a Carta Verde (um seguro que nos protege em casos de acidentes de trânsito). Este documento é indispensável para entrar na Argentina e pode ser pedido pelo oficial de imigração. A pousada que estávamos hospedados nos indicou um escritório na Avenida Mercosul, a mesma avenida que dá acesso à Argentina. O seguro é feito na hora e de uma maneira bem simples e rápida. Ali também funciona uma casa de câmbio.

Fronteira Argentina

Se você já atravessou a Ponte da Amizade para chegar em Ciudad del Este, vai ver que atravessar a fronteira da Argentina é bem diferente. Se no Paraguay há pessoas que entram sem dar entrada no país, na Argentina, todos, sem exceção passam pela imigração e devem apresentar seus documentos. A fila de carros pode ser bem demorada, principalmente em meses de alta temporada. Se a ideia é chegar cedo nas Cataratas o ideal é sair cedo.

Para chegar no Parque Nacional do Iguazú basta pegar a Avenida Mercosul, passar pela imigração e seguir em torno de 15 km até chegar ao estacionamento do Parque, local onde está as Cataratas. A estrada é bem sinalizada, com diversas placas informando o caminho certo. Não tem como errar.

O Parque Nacional Iguazú

Para se visitar as cataratas temos que comprar o ingresso diretamente nos guichês do parque. Os ingressos são vendidos exclusivamente em pesos argentinos, em espécie. Cartões de crédito e outras moedas não são aceitas.

Após comprar o ingresso entramos no parque e passamos no Centro de Visitantes. No Centro de Visitantes há uma exposição mostrando como é a fauna e a flora da região, a história do lugar e também um mapa com as trilhas que podemos fazer. Há três trilhas principais: a Garganta do Diabo, a trilha do Circuito Inferior e a trilha do Circuito Superior.

Trilha Garganta do Diabo

Para chegar na Trilha da Garganta do Diabo devemos pegar um trenzinho, com saídas a cada meia hora, no Centro de Visitantes. Depois de mais ou menos uns 15 minutos de percurso, descemos do trenzinho e chegamos à trilha, que na verdade, é sobre uma passarela e tem aproximadamente 1100 metros.

Trenzinho

Passamos por cima do rio, vemos diversos animais pelo caminho, como tartarugas, pássaros diferentes e muitas borboletas. O caminho é bonito, mas, como fomos em alta temporada estava bem cheio (mas nada comparado ao lado brasileiro).

Trilha Garganta do Diabo
Trilha Garganta do Diabo

Depois de um tempo caminhando pela passarela e admirando a paisagem chegamos ao ponto mais esperado: o mirante da Garganta do Diabo, o ponto de queda mais volumoso do parque. Milhões de litros de água caindo em uma velocidade surpreendente. Não parecia ser o mesmo rio que passamos por cima alguns minutos atrás. É impossível ver até onde vai a água, parece não ter fim.

Garganta do Diabo

Circuito Inferior

Depois de pegar o trem novamente, sentido centro de visitantes, decidimos fazer a Trilha Circuito Inferior. Esta trilha, com 1,7km de extensão, passa por diversas cachoeiras em uma área mais arborizada, como a Salto Chico. É a partir desta trilha que podemos pegar o barco que leva à Ilha de San Martin. (Quando fomos não estava funcionando). A cada subida, ou descida, de escada nos deparamos com uma vista linda.

Trilha Inferior

Circuito Superior

Após o Circuito Inferior, seguimos para o Circuito Superior, também com aproximadamente 1,7km de extensão. Nesta trilha temos várias vistas panorâmicas. Para diferenciar os dois circuitos é fácil, um deles você vê de baixo, do outro, de cima. Por este caminho passamos por algumas quedas d’água como as: Adan y Eva, San Martin e Saltos Bossetti.

Trilha Inferior

Onde comer no Parque Nacional Iguazú

São vendidos lanches nos quiosques perto do centro de visitantes e em vários trechos do Parque, como nas paradas do trenzinho e no acesso às trilhas superior e inferior. Mas, tome cuidado com os quatis. Se no lado brasileiro eles ficam esperando cair alguma coisa no chão para comer, no lado argentino eles saem correndo e roubam a comida de cima da mesa ou da sua mão. Fique atento!

Quati

Preços

Entrada pra o parque: 400 pesos argentinos por pessoa pra cidadãos do Mercosul, ou 100 pesos pra crianças de 6 a 12 anos. (preços janeiro 2018)
Estacionamento: carros:100 pesos argentinos, motos 50 pesos argentinos (preços janeiro 2018)

Dicas:

  • Leve água e lanche. Mesmo em dias mais frescos o lugar é abafado e é importante se hidratar para fazer a trilha.
  • O ideal é ir com roupas leves e calçados confortáveis.
  • Protetor solar e repelente.
  • Não esqueça de trocar dinheiro e levar o valor da entrada do Parque Nacional Iguazú e estacionamento em Pesos Argentinos.
  • Saia cedo do Brasil, a fila na imigração pode demorar até algumas horas.
  • Não se esqueça que para entrar na Argentina é necessário RG ou passaporte.

Planejando sua Viagem

Organize e planeje sua viagem através do nosso blog. Temos parcerias com algumas grandes empresas, que possuem ótimos preços e serviços de qualidade. Utilizando os serviços abaixo através do Uma Viagem Diferente, você ajuda a manter o blog no ar e ainda garante o melhor preço. Economizando na sua viagem!

HOSPEDAGEM → Garanta o melhor preço com o Booking.com
ALUGUEL DE CARRO → Alugue um carro com a Rentcars
SEGURO VIAGEM → Viaje com segurança com a SegurosPromo
PASSAGEM AÉREA → Encontre passagens baratas com a PassagensPromo

Bom, essas são algumas dicas do que fazer em Puerto Iguazú. E você já conheceu ou quer conhecer o Parque Nacional Iguazú? Curtiu? Compartilhe sua experiencia conosco.

Hasta luego e até o próximo post.

Diego Arena

Diego

Veja os comentários

  • Ah, as Cataratas são demaaais! A força da água impressiona muito. Pena que não conheci o lado argentino. Me empolguei lendo o post! Já quero voltar!

  • Ah que saudades das Cataratas, já tem alguns anos que eu não visito essa região. Adoro o clima, o contato com a natureza, tudo tão bom. Bateu saudades ao ler o post.

  • Nossa, sou louca para conhecer as Cataratas do Iguaçu! Guardei todas as dicas, super práticas!

  • Foz do Iguaçu é um lugar maravilhoso, fiquei apaixonada quando conheci, o lado Argentino tem toda uma magia devido a força das águas.

  • Esse parque é a coisa mais linda. Uma das maiores emoções da minha vida foi estar ao lado da garganta do diabo. Adorei seu post

  • Que post lindo! Esse parque é demais, um espetáculo. Foi bom você alertar sobre os quatis... não pode dar bobeira para eles. A imigração é a única parte chatinha do passeio, como você bem apontou há fila e espera, bem diferente de ir para o Paraguai.

  • As Cataratas do lado argentino são mesmo maravilhosas. A Gargante do Diabo é espetacular, não é mesmo?! Lembro de ter comido maravilhosas empanadas. Um passeio delicioso!! :)

  • Que máximo! Eu tinha muita curiosidade em saber como era o lado argentino. Adorei o post.

  • Estou planejando viagem justamente para conhecer o lado argentino das cataratas, seu post veio em uma ótima hora! Obrigado por compartilhar...
    Abs

  • Bastante vontade de conhecer as Cataratas, que legal saber como chegar do lado argentino, muito boa dica.

Posts recentes

10 Cidades para Conhecer no Rio Grande do Sul

O estado do Rio Grande do Sul possui dezenas de cidades bem interessantes para se…

17/10/2020

15 Cidades para Conhecer em Santa Catarina

O estado de Santa Catarina possui dezenas de cidades bem interessantes para se conhecer. São…

12/10/2020

O Que Fazer em Balneário Camboriú

[Um Viajante Diferente] Localizada em Santa Catarina, a cidade de Balneário Camboriú conta com pouco…

07/10/2020

O que fazer na Avenida Paulista, em São Paulo

Há muitos lugares interessantes para conhecer na Avenida Paulista. Uma simples caminhada do começo ao…

02/10/2020

Os Principais Templos em Bangkok

Há centenas de templos espalhados por Bangkok. Andando pela cidade vemos vários em uma mesma…

25/09/2020

Hotéis na Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro

Escolher um hotel no Rio de Janeiro não é uma tarefa nada fácil. Neste post…

14/09/2020