/O que fazer em Hong Kong. Roteiro de 05 dias
O que fazer em Hong Kong - baia de hong kong - Diego Cabraitz Arena

O que fazer em Hong Kong. Roteiro de 05 dias

Atualizado em

Passei 05 dias por Hong Kong, uma ilha que não é totalmente independente da China, mas possui moeda e leis próprias. Por lá podemos conhecer prédios bem modernos, visitar museus, ir à praias, para a Disney, comer muito bem entre diversas outras coisas. Vem com a gente conferir o que fazer em Hong Kong?!

O que fazer em Hong Kong

Saí de Da Nang, no Vietnã, com destino à Hong Kong. Foi um voo bem tranquilo, com duração de aproximadamente 1h40. O Aeroporto de Hong Kong é gigante. Depois que sai do avião andei por cerca de 10 minutos, peguei um trem para ir até o outro terminal, e ai sim passar na imigração.

Não fizeram nenhuma pergunta e … não carimbam o passaporte. Apenas dão um comprovante que você está lá legalmente. #chateado

No aeroporto peguei um ônibus que me deixou na Ilha de Kowloon, bem perto de onde me hospedei. 

Dia 01

O primeiro dia foi bem tranquilo. Cheguei ao hotel, que ficava em frente ao Kowloon Park, por volta das 14 horas. Fiz check-in, deixei a mala no quarto e fui procurar algum lugar para almoçar.

Indo almoçar passei pela Canton Road, uma das ruas mais famosas da cidade, onde podemos ver diversas lojas de grife, como: Prada, Chanel, Hermès, Bvlgari e Louis Vuitton. Mesmo que não seja a intenção fazer compras em Hong Kong, vale a pena passar por esta rua e conferir as vitrines das lojas. Bem coloridas e iluminadas.

canton road - loja cartier - loja dior
Canton Road

Em meio à dezenas de lojas de luxo me deparei com uma praça de alimentação, chamada Food Republic, no interior de um pequeno shopping. Lá haviam vários restaurantes, todos bem baratos. Comi por ali mesmo.

Depois, segui até o Habour City e passei em frente à estação de Ferry Tsim Sha Tsui, que liga a Ilha de Kowloon à Ilha de Hong Kong, do Hong Kong Cultural Centre, do Clock Tower, do Space Museum e do Hong Kong Art Museum.

Museus em Hong Kong  - museu de arte de hong kong
Museu de Arte de Hong Kong

Bem perto de todos os pontos acima está a Avenida das Estrelas, um dos principais pontos turísticos, considerada a calçada da Fama de Hong Kong. Lá vemos diversas estátuas de desenhos e artistas importantes, como o porco Pigiet Mcdull e o Bruce Lee.

Fiquei um tempo por ali admirando o por do sol e vendo o movimento dos barcos pela Baía. Aproveitei para tomar um sundae no Mc Donald´s, que, diferente do que estamos acostumados, tem o sabor de chá verde. É bem gostoso. 

O que fazer em Hong Kong - baia de hong kong - Diego Cabraitz Arena
Baia de Hong Kong

O Sol se pôs e já estava quase na hora do Symphony of Lights, um show de luzes e música que acontece diariamente às 20hs, com duração de 15 minutos, no Victoria Harbour. Esta é uma das maiores atrações da cidade.

Depois do show voltei ao hotel para descansar. 

O que fazer em Hong Kong - Show das Luzes
Baia à noite

Dia 02 – Vista da cidade, Templo e Lugares Instagramáveis 

Fui de metro até a Estação Central, que fica na Ilha de Hong Kong. Passei em frente ao prédio do HSBC, que foi projetado por Norman Foster. Vi outro prédio bem importante, o Bank of China, que fica em frente ao Charter Garden e segui até o Peak Tran Terminal. O segundo dia era um dos mais aguardados da viagem, para ver a melhor vista da cidade.

Comprei o ticket para subir de tram – um bondinho, que custou HKS100 (100 dólares de Hong Kong, subida até o topo e descida – preço de Novembro/ 2019) e subi até o Victoria Peak.

O The Peak é o ponto mais alto da cidade com aproximadamente 522 metros de altitude. A vista é demais e vale muito a pena. 

onde ver hong kong do alto - victoria peak
Victoria Peak
Diego Cabraitz Arena - o que fazer em Hong Kong -
Eu no Victoria Peak

O mirante sobre de um icônico prédio chamado Peak Tower, onde há várias lojas, restaurantes e o Museu de Cera Madame Tussauds. Atrás dele há um shopping, onde está o restaurante Bread Street, do renomado chef Gordon Ramsay. 

Depois de andar por lá, peguei o tram e desci novamente para a área central da cidade. Há muitos restaurantes na área, escolhi o Cha Kee @Central para almoçar e depois continuei o passeio.

Andando pela região, encontrei sem querer, a Graham Street, uma rua que ficou famosa no Instagram pelo seu grafite. Aproveitei e tirei muitas fotos. 

lugar instagramavel em hong kong - diego cabraitz arena
Andando por HK

Depois, segui até o Mam Mo Temple, que foi construído aproximadamente em 1847 em homenagem aos deus da literatura, Man, e o deus da guerra, Mo. O que mais chama a atenção, de todos os visitantes, são os vários incensos em espiral pendurados no teto do templo. 

Mam Mo Temple
Mam Mo Temple

Ali perto tem uma rua que vende objetos de bazar, jóias e decoração. Um pouco mais distante, mas na região, está a Observation Wheel, a Roda Gigante de Hong Kong.

Após o templo, peguei o metro até a estação Tai Koo e segui até o Yick Fat Building, um complexo gigantesco de aproximadamente 1400 apartamentos que também ficou famoso no Instagram e hoje atrai muitos turistas para conhecer o local.

A grande maioria dos apartamentos na cidade são bem pequenos. Em áreas mais periféricas, famílias inteiras vivem em apartamentos com menos de 15m², com um valor de aluguel que pode passar, em alguns casos, de HKD 5000 (5 mil dólares de Hong Kong). Extremamente caro para a população.

The monster Building Hong Kong - Diego Cabraitz Arena
The Monster Building

Passei em um mercado que havia ali perto. Comi um doce no Beards Papas e peguei o metro para Kowloon. Voltei para o hotel, tomei um banho e quando desci… manifestação. Então, fiquei por ali mesmo e só sai para jantar. Segundo dia tinha terminado.

Dia 03 – Arquitetura, Compras e mais Vista

O primeiro ponto visitado no terceiro dia foi a Universidade Politécnica, um local que geralmente não entra no roteiro de quem vai para Hong Kong. Visitei o local porque queria ver de perto o prédio Jockey Club Innovation Tower, projetado pela arquiteta iraquiana Zaha Hadid. Bem perto dele está o Hong Kong Museum of History.

Faculdade Politécnica de Hong Kong- Zaha Hadid em Hong Kong - Diego Cabraitz Arena
Faculdade Politécnica de Hong Kong

De lá, segui ao Lady’s Market, um mercado de rua, com várias barraquinhas e lojas bem típicas, no bairro de Mong Kok, para comprar bugigangas e souvenires. O preço por ali vale bastante a pena e os vendedores adoram pechinchar. Ali perto está o Flower’s Market, destinado exclusivamente para venda de flores.

Fui até o o Sky 100, um mirante que fica no prédio mais alto da cidade. Nos andares mais baixos deste prédio funciona o Shopping Elements. Se a ideia é conhecer outros shoppings, algumas opções são: Shopping Olympiam City 3, 2 e 1 e o Harbour City.

Como chegar no Sky 100
Vista do Sky100

Saí em direção ao Xiqu Centre, um teatro e centro de artes. No caminho, me surpreendi com duas coisas. 1- Um enorme prédio residencial de aproximadamente 70 pavimentos e com um grande vazio no meio e 2- o Hong Kong West Kowloon Station, a estação de trem de alta velocidade da cidade, projetada por Aedas e Andrew Bromberg. 

prédio residencial em Hong Kong
Prédio Residencial
Hong Kong West Kowloon Station
Hong Kong West Kowloon Station

Fui até a Nathan Road, outra rua bem importante na cidade, cheia de lojas, restaurantes em toda a sua extensão.

É nesta rua que está o o Kowloon Park. No parque podemos ver: o Jardim Chinês, o aviário, o Jardim das Rosas e a Avenida das Estrelas de Quadrinhos ( com várias estatuas de personagens importantes na cultura). 

Fiquei no parque até a noite. Jantei um prato de pato e frango no Lung Mun Café e voltei para o hotel descansar.

Dia 04 – O Grande Buda

Este dia foi destinado para conhecer o Grande Buda, na Ilha de Lantau

Para chegar ao Buda, há duas opções: uma trilha bem longa, com muitas subidas e descidas, ou pegar um teleférico, o maior do mundo em extensão. São quase 20 minutos para chegar da estação até o ponto mais perto do Buda.

Cheguei na bilheteria do teleférico e a fila para comprar o ingresso estava bem pequena. Aos finais de semana a fila fica bem grande, o que pode levar horas. O ingresso custou HKD225 (dólares de Hong Kong – preço de Novembro/2019), mas, há uma opção de teleférico com chão de vidro, por um adicional de HKD50. 

Como ir até o Budha Gigante de hong Kong - Tian Tan Buddha
Teleférico até o Buddha Gigante

Depois de sair do teleférico, conheci o Po Lin Monastery, um monastério budista que foi fundado em 1906, e subi os 268 degraus até chegar no Buda Gigante, chamado de Tian Tan Buddha, que tem 34 metros de altura.

Tian Tan Buddha - Buda Gigante
Tian Tan Buddha

Depois de ficar um tempo por ali, peguei o teleférico de volta. Fui de metro até o SOGO e ao Din Tai Fung, um restaurante com estrela Michelin. O prato chefe deste restaurante é o dumpling, uma comida bem típica.

Fiquei andando um tempo pelo SOGO, uma região com diversas lojas, shoppings e restaurantes. Depois, atravessei de ferry da Ilha de Hong Kong até a Ilha de Kowloon. A travessia custa HKD 2,50 (dólares de Hong Kong – preço de Novembro/2019), o que é mais barato que o metrô e de quebra você pode conferir o skyline da cidade de uma outra maneira.

por do sol em hong kong
Por do sol em Hong Kong

À noite, fui à Temple Street, uma rua onde funciona o Night Market, um mercado noturno repleto de barracas que vendem de tudo. Eu tive a impressão que era basicamente tudo igual ao que tinha visto no dia anterior no Lady’s Market, com a diferença de ter mais opções de gastronomia. 

Temple Street
Temple Street

Dia 05 – Um bate e volta em Macau

Usei o ultimo dia para fazer um bate e volta até Macau. Cassinos, hotéis, cassinos e hotéis em todos os lados. Macau é considerada a Las Vegas da Ásia e se você gosta de apostar este é um ótimo lugar para colocar no seu roteiro.

Macau foi território de Portugal até 1999. Por lá, além dos cassinos, podemos ver diversos prédios com características portuguesas, comer pastel de Belém e muitas outras coisas. Escreverei um post somente sobre Macau, pois há muito o que ver por lá, e em um dia consegui aproveitar bastante.

um dia em Macau - bate e volta de Hong Kong
Um dia em Macau

Outras opções para quem não quer ir até Macau são: visitar a Disneylandia de Hong Kong, na Ilha de Lantau, ou passear pelas diversas praias que ficam em Ilhas próximas, como a South Bay e a Stanley Beach

Este foi meu último dia pela cidade. No dia seguinte acordei bemmm cedo. Meu voo para Puket, na Tailândia, saiu às 5 da manhã. Mas, este também é assunto para um outro post. Fiquem ligados.

Onde comer em Hong Kong

Há muitas opções de locais para comer em Hong Kong. Eu comi várias vezes no Food Republic, uma praça de alimentação com várias opções de restaurantes com preços bem em conta. Comi ramem várias vezes, todos bem gostosos.

Um dia comi no Lung Mun Café, um prato com arroz, pato, frango, alguns vegetais e molho vermelho. Há diversos restaurantes espalhados pela cidade que são especializados e possuem pato como prato principal.

Uma dica bem legal é o restaurante Din Tai Fung, que possui estrela Michelin e o dumpling como carro chefe. Este é o prato mais típico de Hong Kong e, diferente do que muitas vezes pensamos, comer em um restaurante com estrela Michelin pode não ser caro.

Ahhh, se você gosta de sobremesa e sorvete, no MC Donald´s a massa tem sabor de chá verde. Pedi um sundae e gostei bastante. Uma opção bem barata e gostosa. 

sorvete de chá verde
Sorvete de chá verde

Onde se hospedar em Hong Kong

Há diversas opções de hospedagem em Hong Kong, para todos os tipos de pessoas e bolsos. Uma região bem bacana, que eu gostei de me hospedar, foi próximo à Avenida das Estrelas, perto de diversas atrações e de fácil acesso pelo metro. 

Separei neste post algumas opções de hotéis , todos linkadas para o Booking, onde podemos ver mais informações e preços.

Hotéis 5 estrelas: InterContinental Hong Kong, Hyatt Centric Victoria Habour, Cordis, Royal Plaza Hotel, The Royal Garden, Crowne Plaza Kowloon East, Hyatt Regency Tsin Sha Tsui e Hong Kong SkyCity Marriot Hotel.

onde se hospedar em Hong Kong - hotel Intercontinental em Hong Kong
Hotel Intercontinental HK

Hotéis 4 estrelas: Best Western Grand Hotel Tsin Sha Tsui, L’hotel Causeway Bay Harbour View, Ramada Hong Kong Harbour View, Hotel Ease Mong Kok, e o Ramada Grand View.

Hotéis 1, 2 ou 3 estrelas: Ibis Hong Kong North Point, Mojo Nomad Aberdeen Habour, Chaterhouse Causeway Bay, Holiday Inn Kowloon East, e o The OTTO Hotel.

Hostels: Urban Pack, YHA Mei Ho House Youth Hostel, Alohas Hostel, Wontonmeen, e o Rainbow Lodge.

Preciso de Visto?

Brasileiros não precisam de visto para visitar Hong Kong, se estiverem a passeio por até 90 dias. Porém, se você quiser atravessar a fronteira até a China continente, é necessário visto, que deve ser solicitado no Brasil.

Preciso de Seguro Viagem?

Mais uma dica: Vai para a Hong Kong? Não deixe de fazer o seguro viagem. A Ásia é responsável por um dos maiores acionamentos de seguro, geralmente por pessoas passando mal devido a alimentação. A Seguros Promo sempre tem ótimas promoções, e por esse link, tem desconto. 🙂

Planejando sua Viagem à Hong Kong

Organize e planeje sua viagem através do nosso blog. Temos parcerias com algumas grandes empresas, que possuem ótimos preços e serviços de qualidade. Utilizando os serviços abaixo através do Uma Viagem Diferente, você ajuda a manter o blog no ar e ainda garante o melhor preço. Economizando na sua viagem!

HOSPEDAGEM → Garanta o melhor preço com o Booking.com
CHIP DE INTERNET → Já saia do Brasil com chip de internet com a Viaje Conectado
SEGURO VIAGEM → Viaje com segurança com a SegurosPromo
PASSAGEM AÉREA → Encontre passagens baratas com a PassagensPromo

Bom, essas são algumas dicas do que fazer em Hong Kong. E você já conheceu ou quer conhecer o lugar? Curtiu? Compartilhe sua experiência conosco.

Hasta luego e até o próximo post.

Diego Arena