/Mi Buenos Aires Querido

Mi Buenos Aires Querido

A ideia de ir para Buenos Aires surgiu na comemoração do aniversário de uma amiga, durante uma conversa sobre o que cada um faria nas férias após o termino do semestre. E quando percebemos já estávamos vendo datas, fazendo um roteiro e marcando férias nos estágios. Fui com mais cinco amigos da faculdade por uma semana, em Julho/2013, inverno local.

Carimbo e Moedas
Carimbo e Moedas

A Argentina tem como língua oficial o espanhol (com seu sotaque bem especifico), mas de fácil compreensão.

A moeda oficial é o peso Argentino, você pode trocar no Brasil, ou em casas de cambio no centro de Buenos Aires. Há vários na Calle Florida, geralmente com uma melhor cotação.

Buenos Aires tem dois aeroportos, um mais central, o Aeroparque Jorge Newbery, e um pouco mais afastado e por onde cheguei, Aeroporto Ministro Pizzarini/ Ezeiza. Como a Argentina pertence ao MERCOSUL, não é necessário visto/ passaporte para adentrá-lo, basta o RG. Mas você passa pela imigração e se estiver com passaporte ganhará um carimbo! ( Meu segundo carimbo )

Pela primeira vez me hospedei em um hostel, um meio de hospedagem que tem basicamente a mesma definição de um hotel, segundo o dicionário Aurélio [do fr. hôtel, estabelecimento onde se alugam quartos e apartamentos mobiliados, com ou sem refeições]. O diferencial se caracteriza na economicidade, por se tratar de quartos coletivos, visando a integração entre hospedes. (Gostei tanto desse meio de hospedagem que fiz um Hostel em meu Trabalho Final de Graduação de Arquitetura).

Ficamos no Hostel Suites Florida, bem localizado, no centro da cidade e próximo ao metro.

A grande maioria dos pontos turísticos estão no centro da cidade, e lá podemos visitar: a Plaza de Mayo, onde esta a Casa Rosada, sede da presidência (aos sábados, domingos e feriados há um tour de graça, onde você pode conhecer o interior do edifício e sua história e descobrirá como era feito tinta para fazer o tom rosado, bem interessante), a Igreja Catedral Metropolitana e Cabildo. Bem próximo, aos domingos, acontece a Feira de San Telmo, com diversas barraquinhas de artesanato e restaurantes, e onde está o Banco da Mafalda.

Casa Rosada
Casa Rosada

Também se pode visitar: a escultura Floralis Genérica (ao lado da Faculdade de Direito). Ponte de la Mujer, em Puerto MaderoObelisco, Avenida 9 de Julho ( a mais larga do mundo), Teatro Colón. Estádio do Boca Juniors, La Bombonera, próximo ao Caminito, um bairro bem colorido. Galeria Pacifico, na Calle FloridaCemitério da Recoleta, onde está o túmulo de Evita (em frente está o Shopping Recoleta Mall). Avenida Corrientes, uma avenida com diversos teatros e restaurantes. E se quiser jogar ($$$) pode ir no Casino Puerto Madero.

Se você gosta de arte e exposições vai se divertir em Buenos Aires, há diversos museus bacanas por lá, como o Museu del Bicentenário, atrás da Casa Rosada, MALBA (Museu de Arte Latino Americano de Buenos Aires), MACBA (Museu de Arte Contemporânea), MAMBA (Museu de Arte Moderna), Museu de Arte Popular, Museu de Arte Decorativo, entre outros.

Alguns Sketches feitos em Buenos Aires:

Leãozinho
Leão- Zoo Lujan

Separamos um dia para ir ao zoológico de Lujan, na cidade vizinha de Lujan. Há um ônibus que sai da Plaza Itália, e te deixa em frente. Para pegar este ônibus você precisa de um cartão que pode ser adquirido nos correios, há um próximo desta mesma praça. O diferencial deste zoo é que os animais ficam soltos e você pode interagir com eles, tocar, dar comida. Uma sensação bem diferente (medinho). Algumas pessoas não gostam deste zoo, pois falam que os animais recebem cotas de calmantes para ficarem calmos e não atacar. Lá os funcionários falam que isso não é verdade, que os animais são calmos pelo convívio diário com humanos desde bebes.

 

Quando você pensa em gastronomia na Argentina você lembra de Alfajor? Há diversas lojas da Havanna espalhados pela cidade, com um preço legal. Só não é recomendado trazer doce de leite, por conta da alfandega brasileira, uma opção é tomar uma casquinha de doce de leite no Mc Donald´s, mesmo no inverno. Um dos cafés mais tradicionais e famosos é o Café Tortoni, que funciona desde 1858, um pouco caro, mas vale a pena a visita.

Uma noite fomos tomar suco (sim suco!), no restaurante El Mercado, no interior do Hotel Faena (chique), pois queríamos ver a decoração projetada por Philippe Starck.

Bom essas são algumas dicas. Há muito o que conhecer em Buenos Aires. Fiquei por lá seis dias, um tempo bem legal para conhecer tudo com calma.

E você? Já esteve em Buenos Aires? Curtiu? Compartilhe sua experiência conosco.

Até o próximo post.

Abrazo

Diego Arena