/Exposição ComCiência – Patricia Piccinini

Exposição ComCiência – Patricia Piccinini

Ser paulista é respirar arte até no feriadão. A pedida da vez, para comemorar o dia das crianças, foi a exposição intitulada de ”ComCiência”, da australiana, artista plástica Patricia Piccinini.

Quem foi ou queria ter ido na exposição do Ron Mueck, também australiano, que aconteceu ano passado na Pinacoteca de São Paulo não pode perder esta, onde as obras além de hiper realistas possuem um traço surrealista com questões de mutações genéticas.A mostra está em exposição no CCBB-SP, Centro Cultural Banco do Brasil, desde ontem, 12 de outubro de 2015 até o dia 04 de janeiro de 2016 e conta com cerca de 40 obras, que vão desde esculturas a desenhos/quadros e um filme. Recomenda agendar a visita pelo ingresso rápido.

Patrícia Piccinini
O tão esperado(2008) – Patrícia Piccinini

”Os monstros”, estranhas figuras feitas de silicone, fibra de vidro e cabelo humano, podem até assustar no começo da exposição e causar estranheza , mas conforme as salas da exposição são visitadas você começa a perceber que a aparência não quer dizer nada e começamos a nos simpatizar com estes seres estranhos. De onde será que eles vieram ?

Algumas obras, como a ”The Observer” (O observador) de 2010 até te fazem pensar: ” E se fosse meu irmãozinho? ou, E se fosse meu filho ?, quando você vê a escultura de um menininho observando o mundo no alto de uma pilha de cadeiras.

The observer ( O Observador) – Patricia Piccinini

A imaginação e criatividade da artista nos levam a outro mundo, mais algumas fotos da mostra:

Patricia Piccinini
Patricia Piccinini
Patricia Piccinini

A exposição é tão interessante que quando percebemos já havia se passado duas horas desde que entramos. Poderia colocar muitas mais fotos e textos mas ai não teria graça. O legal é ir até o CCBB e se surpreender.

Após São Paulo a exposição seguirá para o Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília e do Rio de Janeiro.

E ai, vamos pra exposição ? Já foi e curtiu ? Compartilhe sua experiência conosco.

Até mais,

Diego Arena.