/Conhecendo as Praças e Parques de Belém do Pará

Conhecendo as Praças e Parques de Belém do Pará

Na primeira visita à capital paraense pude conhecer diversos pontos importantes e turísticos da cidade, como contei neste post. Nesta segunda visita, que também foi a trabalho, consegui passar por algumas praças e parques de Belém, bem bonitos e que me surpreenderam. Não conheci todos em um único dia, mas é bem possível fazer um roteiro englobando todos eles. E aí, vamos conhecer os Parques de Belém?

Roteiro passando por 4 Parques de Belém:
Bosque Rodrigues Alves, o Jardim Botânico da Amazônia.

O Jardim Botânico de Belém é uma área de preservação ambiental, que foi inaugurado à bastante tempo, em 1883, e que abriga mais de 80 mil espécies de flora e fauna. O bosque possui tantas arvores, que assim que você passa pelo seu portão pensa: Cadê o calor de Belém? Você literalmente entra em um pedaço da Floresta Amazônica.

Logo na entrada do Bosque você se depara com duas figuras que protegem o local, os guardiões da floresta: Curupira e o Mapinguari. Eles estarão de olho em tudo que você fizer pelo Bosque. Tome cuidado.

Um dos locais mais legais dentro do Bosque é o Lago da Iara, outro ser folclórico. Será que vai encontrá-la por ai?

Jardim Botânico da Amazônia

Há vários animais por ali: preguiça, iguana, tartarugas, garças, jacaré, araras e até um peixe-boi. Praticamente um zoológico haha. As crianças se divertem. A grande maioria dos animais ficam soltos, então é bem comum você ouvir um barulho e quando olhar para cima avistar um macaco andando pelas árvores, ou pássaros voando ou uma garça te seguindo.

Ahhh… O ingresso para visitar todo o complexo custa R$2,00.

Praça Batista Campos

A Praça Batista Campos, inspirada na belle epoque parisiense, foi um verdadeiro achado. Nela, cinco lagos são interligados por pontes de madeira. E entre pontes e caminhos sob grandes árvores podemos esquecer um pouco onde estamos e do calor de Belém. No horário do almoço e ao final da tarde o local fica bem cheio, com pessoas descansando, lendo um livro, fazendo caminhada e exercícios.

Portal da Amazônia.

O Portal da Amazônia não é bem um parque, ainda. Criado às margens do Rio Guajará, como uma área de requalificação das margens do rio, é um espaço com área verde, espaços de convivência, práticas de exercícios como corridas, caminhadas etc.

Além de espaços para contemplação que avançam sobre o rio Guajará, com bancos e decks, ideais para ficar admirando o rio e o céu. Todos falam que o por do sol deste ponto da cidade é incrível.

Decks – Portal da Amazônia
Mangal das Garças

O Mangal das Garças foi inaugurado em 2005 e é resultado da revitalização de uma área de cerca de 40.000 metros quadrados às margens do Rio Guamá.

Conhecer o Mangal não é um passeio tão rápido se você quiser conhecer tudo o que ele tem a oferecer. A entrada ao Parque é de graça, você só paga se quiser conhecer a Reserva José Márcio Ayres (Borboletário) e o Farol de Belém. Como fui quase no final da tarde, optei por deixar esses dois locais para uma próxima visita e conhecer o restante do Mangal.

Logo na entrada vemos o Armazém do Tempo, um antigo galpão pertencente a ENASA (Empresa de Navegação da Amazônia), usado como oficina mecânica para reparo de embarcações. Sua estrutura metálica foi transferida para o Mangal e passou a abrigar uma área para exposições e algumas aulas.

Mangal das Garças

Andando pelo Mangal podemos conhecer também: a Escultura Vitória Sônia Eding, a Praça Murmúrio das águas, a Fonte dos Caruanãs, o Museu Amazônico da Navegação, o Mirante do Rio ( estava em obras), o Viveiro das Antigas, o Recanto da Curva, a Ilha da Preguiça (cheiaaa de garças) no meio do Lago do Cavername, o Recanto dos Lagos e Recanto da Margem. Um lugar lindo não é mesmo?

Mapa com um roteiro passando pelos 4 parques de Belém visitados:

E você já esteve em algum desses Parques de Belém? Curtiu? Compartilhe sua experiência conosco.

Até o próximo post
Diego Arena